fbpx

Você já tentou fazer um bolo sem receita?

Pois é, não deve ter dado muito certo. O risco de errarmos a medida, deixarmos algum ingrediente fora ou exceder em outro, não seguir a sequência correta dos ingredientes é muito grande. Podendo gerar um bolo não esperado.

Assim é a ficha técnica dentro da confecção do vestuário, ela é a receita do bolo.

Na ficha técnica teremos todos os recursos necessários para se ter o produto final. Seu desenvolvimento correto impacta na qualidade, tempo, custos, processos de produção e processos de compras dentro de uma coleção de moda.

Preencher a ficha técnica com o maior número de informações e detalhes é fundamental, pois todos os setores produtivos internos ou externos que industrializarão o produto precisam saber com exatidão: O que fazer? Com o que fazer? Como fazer? Até quando fazer?

Bom vamos agora para algumas etapas da nossa “receita” do “bolo” para a confecção do vestuário, colocando no papel essa “receita” ou melhor no sistema de gestão, utilizando as perguntas acima.

O que fazer?

A resposta parece bem obvia concorda, o produto, mas será que mais informações seria interessante vejamos algumas delas.

  • O código e a descrição do produto;
  • Coleção e estação que pertence;
  • A sua grade e o tamanho do mostruário;
  • As suas variantes (cores) e a variante do mostruário;
  • Estilista e modelista que desenvolveram o produto;
  • Foto ou desenho técnico do produto;
  • Composição do produto;

Com o que fazer?

Essa é uma etapa que requer muita atenção, pois é nela que será adicionado todos os materiais com suas respectivas quantidades, um erro aqui que pode até ser o posicionamento de uma vírgula pode comprometer todo o planejamento de compras de uma coleção. Vejamos alguns pontos que compõe essa etapa:

Tecidos: Cuidados aqui são essenciais como unidades de medida, exclusividade de algum fornecedor, se esse consumo será aplicado em mais de uma parte da peça, ou em algum detalhe. Até um % de perca, em alguns casos se faz necessário.

Aviamentos: A escolha do código do aviamento que representa ele na peça final não pode haver dúvida, por isso se justifica ter a foto do aviamento vinculada com o código, um outro ponto é o cuidado de adicionar o consumo desse aviamento por tamanho conforme a grade da peça final.

Embalagens: Aqui se tem que ter um olhar crítico, com todos os materiais de embalagem que vão na peça final, por mais que tenha um custo baixo, não deixa de ser um custo. Olhando dessa forma até a etiqueta de código de barra deve ser adicionada na ficha técnica.

Como fazer?

Nessa etapa tem como um dos objetivos reduzir a zero a seguinte frase na etapa produtiva “mas eu não sabia que era para ser feito assim”. Portanto será descrito para cada setor o que se espera em cada atividade a ser executada na confecção da peça.

O importante para a pessoa que está elaborando a ficha técnica, se colocar no lugar de cada setor e descrever o como fazer aquela atividade.

Vamos colocar abaixo dois exemplos um para o setor de corte e outro para tipos de costura.

Todos os detalhes dos processos são descritos, minimizando qualquer erro ou interrupção do processo produtivo e aumentando a padronização e qualidade da peça final a ser confeccionada.

Até quando fazer?

Nessa etapa se terá o apoio de um profissional qualificado para realizar a cronometragem de cada operação, algumas empresas utiliza o tempo padrão ou outras técnicas do estudo de tempos e movimentos.

O ideal é que se chega em um modelo para a empresa, onde se tem a sequência operacional com seu respectivo tempo, e a soma desse tempo se terá o tempo total para confeccionar uma peça. Podendo posteriormente realizar balanceamentos, projeções e sabendo assim até quando fazer determinado lote de produção.

Portanto não deixe de responder as questões: O que fazer? Com o que fazer? Como fazer? Até quando fazer? E uma boa validação de todo esse processo é sempre bem-vinda. O colaborador ou terceiro que for ter acesso a essa ficha técnica não poderá ter dúvidas, deverá estar claro essa “receita” tendo assim o “bolo” esperado, ou seja, a peça final na qualidade e custo esperado.

Bons negócios e nos vemos nos próximos conteúdos.

Continue lendo

mais notícias